Teatro: Entre teólogos e espirituais

[Recreações]

JHS+MAR
Recreação piedosa:  Santa Madre, entre os Teólogos e espirituais! Temores da Oração.
 Oração Mental versus Oração vocal 

Enquadramento: Santa Madre está na cela a escrever o Caminho de Perfeição. Entra uma Irmã, Maria da Cruz, a dar a alegria dum milagre de São José: apareceu na roda exterior pães, ovos e donativo em dinheiro.
Iniciam uma conversa espiritual sobre a resposta da Santa Madre aos temores, que os teólogos de então apresentavam, sobre a oração mental e contemplativa.

Santa Madre (SM) – (vai escrevendo e falando alto o que escreve – sobre a pobreza cap 2 do Caminho de Perfeição)

Que faça muito ruído ao desmoronar-se a casa de treze pobrezitas não é bem, pois os verdadeiros pobres não hão-de fazer ruído; gente sem ruído hão-de ser, para que deles tenham pena. E, como se alegrarão, se virem alguém, pela esmola que lhes tiverem feito, livrar-se do inferno; tudo é possível, porque estais muito obrigadas a rogar muito continuamente por suas almas, pois vos dão de comer. E o Senhor também quer, embora venha de sua parte, que agradeçamos às pessoas, por cujo meio Ele no-lo dá. Nisto não haja descuido.

Irmã – (entra ofegante de alegria )
 Madre, Madre, Madre….

SM – Filha minha, que aconteceu? Que modos são esses?

Irmã -  Perdão… Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo. Madre Teresa, milagre de São José! Veja o que vieram pôr na roda: Pão, ovos e … ainda tem este envelope!

SM (abre o envelope enquanto vai louvando e agradecendo ao Senhor) –
Ó Senhor e Majestade minha, para sempre sejais louvado… ( e quando vê o donativo) Meu Deus e meu Rei!  Como é grande a Vossa misericórdia! Ó abençoai e perdoai a estes humildes benfeitores que só vós conheceis!  

Irmã – Como Deus é grande!… tanto que temos implorado São José, o pão de cada dia!

SM - Ó filha minha! Não vos digo sempre, que deixeis este cuidado de rendas e rendeiros. A Palavra do Senhor nunca falta, antes faltarão os céus e a terra! Não lhe faltemos nós e não haja medo que Ele nos falte! Bendito sejais Senhor do Céu e da Terra!

Acabei mesmo agora de escrever sobre a pobreza. Oiça, filha minha:  (sentam-se as duas)

Não penseis, minhas filhas, que, por não andar a contentar os do mundo, vos há-de faltar de comer; isto vos asseguro. Jamais, por artifícios humanos, pretendais sustentar-vos, porque morrereis de fome, e com razão. Ponde os olhos em vosso Esposo: Ele vos sustentará. Contente Ele, ainda que não o queiram, dar-vos-ão de comer os vossos menos devotos, como tendes visto por experiência. Se, fazendo vós isto, morrerdes de fome, bem-aventuradas as freiras de São José. Não vos esqueçais disto por amor do Senhor. Já que deixais as rendas, deixai os cuidados da comida; se não, tudo vai perdido.

Irmã – Sim Madre! Tem toda a razão! Bem o experimentamos nós, também! 

SM – Tudo o que escrevo, o conheço por experiência e tudo vos digo. 
Mas interessa-me sobretudo, para as que hão-de vir, para que depois da minha morte não haja relaixação…

Irmã – Madre, será que esse dinheiro vai chegar para acabar a nossa ermida?

SM- Sim, sim, a ermida está quase  paga… com este dinheiro, que São José nos trouxe, vamos mandar fazer a pintura de Cristo para colocar na ermida!

Irmã -  É verdade! Há tanto tempo que fala nisso! A Madre gosta mesmo muito de imagens de Nosso Senhor!

SM – É verdade sempre me ajudaram muito, sobretudo, nos primeiro tempos em que comecei a ter oração.

Irmã – Eu também gosto muito de olhá-Lo em imagens… Mas Madre…, parece-me …, que cada vez mais, me basta olhá-Lo por dentro…, basta uma frase Sua …,  uma Palavra do Evangelho…

SM – e logo a sua alma se recolhe em doce quietude, não é?

Irmã – (abana a cabeça em tom afirmativo)

SM – Conheço bem, a minha filha! Eu também sempre fui afeiçoada às palavras do Evangelho e mais me têm recolhido que livros muito bem escritos. Mas quando este Imperador nosso nos atrai para Si, e nos mostra Quem e que poder tem… leva-nos para dentro do Seu Castelo, sem sabermos como e sem podermos fugir…

Irmã – (baixa a cabeça e faz uma cara de apreensão)

SM - que foi, filha minha?

Irmã – Ultimamente a Madre, acontece-me com muita frequência, ficar como que absorta..
Parece-me que sou conduzida para um mar…, um oceano onde me perco… não sei como… não sei como, mas sei que, melhor não sei, mas prece que estou toda tomada por Deus…

SM – E está triste, minha filha, por o Senhor querer ter as Suas delicias na sua alma?!!
Louve-O Muito!

Irmã -  Sim, assim o faço…mas naquele momento não sei o que fazer senão gozar de tanta suavidade… e digo loucuras de amor em seu louvor…
Mas depois vem o medo, Madre. Não será ilusão? Tenho tanto medo… tantas pessoas principais e letrados, não avisam que há tanto perigos?… ainda no outro dia, Dona Guiomar não lhe falou de mais um processo no Santo Oficio de quem tinham por tão santo?

SM – Sim, filha minha! Nisto há perigos sim… mas se não tiverdes humildade,  boa consciência e progredir nas virtudes.
Todos os dia ouvimos falar:
‘Fulano perdeu-se’
‘Aquele que rezava muito, caiu’

Irmã – e também dizem que somos mulheres…

SM – ‘é melhor que fiem’    ‘deixem-se dessas delicadezas’   ‘oração não é coisa para mulheres, podem ter ilusões’. Ó filha minha, estou cansada de ouvir tais coisas!

Vede minha filha, fogem do bem de ter oração para se livrar do mal! Nunca vi tão má invenção, bem parece do demónio.

Não foi este o caminho escolhido pelo nosso Rei e pelos seus escolhidos e santos? então, quais não serão os perigos dos que vão a seu parecer e sem caminho????!!!!!
Em muitos maiores perigos se metem!!!

Ò minha filha, crede-me; não há outro caminho para Deus, que não seja o da oração,
Trabalhe-se o que se trabalhar, murmure quem murmurar.

Deixe-se desses temores, onde não há que temer; o Senhor é rei e quer levá-la à Sua fonte de água viva.
Perigo é não ter humildade.
Quem vos disser que é perigo a oração, a esse tende-o pelo verdadeiro perigo!


Irmã – mas também dizem, que como não temos letras, não deveríamos fazer oração mental e que nos basta o Pater Noster e Ave Maria.

SM – Isso também eu o digo! e se basta!
A nossa oração deve ser sempre fundada na Oração dita por tal boca.
Nisto têm razão; se a nossa fraqueza não estivesse tão fraca e a nossa devoção tão tíbia, não seriam precisos outros concertos de oração nem precisos outros livros.

(SM de pé)

Que é isto agora nos cristãos? Os que dizem que não é preciso oração mental!
É certo que não vos entendeis e assim quereis que todas nós desatinemos; nem sabeis o que é oração mental porque se o soubésseis, não condenaríeis por um lado, o que por outro louvais!

Eu hei-de juntar sempre oração mental à vocal!

Minha filha, sabeis que não está a diferença para ser ou não oração mental, em ter a boca fechada.
Se, estando a falar, estou perfeitamente a entender que falo com Deus, pondo nisto mais advertência do que às palavras que digo, juntas estão aqui oração mental e vocal!

Irmã – pois se estamos falando com tão grande Senhor, é bem que estejamos olhando com Quem falamos e quem somo nós!

SM – Assim é, minha filha! Podeis estar falando com Deus e pensando no mundo! Aí, já me calo!

Quem poderá dizer que é mal, se começamos a rezar as Horas ou o Rosário,
que se comece por pensar com Quem se vai falar
e quem é aquele que fala, para ver como se deve tratar?
Se o muito que há a fazer para entender estes dois pontos se fizesse bem,
Antes de começar a oração vocal, que ides rezar, ocuparíeis assaz tempo na mental!

Minha filha, deixai-vos desses temores onde não há que temer.
Se alguém vo-lo meter, mostrai-lhe vós o caminho com humildade.
Dizei que tendes regra que vos manda rezar sem cessar.
Se vos disserem que é vocalmente, perguntai se o entendimento e o coração hão-de estar no que dizeis.
Se vos disserem que sim – e não podem dizer outra coisa – vede como confessam que estais obrigadas a ter oração mental, e até contemplação se Deus vo-la quiser dar ali!


Irmã -  Madre é por tudo isto, por que o sabe por experiência que queremos que escreva essa livro.

SM – Sim filha minha, por causa de todos esses temores e tentações, por isso, determinei-me a obedecer-vos escrevendo algumas coisas sobre a oração. 
Aqui vou deixar uns princípios e meios e fins da oração, sem me deter em coisas subidas.
E se estiverdes atentas, tendo humildade, não tereis necessidade de mais nada.
E assim, não vos poderão tirar este livro.
Não digo que vá fazer o comentário destas orações divinas, pois não me atreveria e já há muitas;
Mas somente algumas considerações sobre as palavras do Pai Nosso.

Irmã - Bendito seja Deus que lhe deu tanta sabedoria! Por experiência e por palavra, pois fala destas maravilhas que Deus faz nas nossas almas, de forma simples que todas nós percebemos! 

SM - Ó filha, minha louve-O muito! Louve-O muito a este Senhor nosso! O bom Jesus é verdadeiro amigo e só Ele nos conduz à verdade do amor...Louve-O muito... Ele quer ter as duas delícias na alma dos justos... e aproxima-se de nós quando ainda somos tão pecadores ... quando tão longe andamos de tão grande amigo. Bendito sejais meu Esposo e Senhor! Bendito sejais!

 

2014-10-07

da mesma secção

"Compreendi que o Amor é tudo"

Vivendo na Fé, o "Eterno Hoje" de cada dia, esperamos sempre a chuva de bênçãos que os santos, os nossos amigos do Céu, derramam sobre nós - espec ...

Continuar a ler

Teatro: Entre teólogos e espirituais

JHS+MAR
Recreação piedosa:  Santa Madre, entre os Teólogos e espirituais! Temores da Oração.
 Oraçã ...

Continuar a ler